Segundo denúncia, Gilsivan Soares, conhecido como Ivan Soares, feriu a ex-namorada com uma faca e tomou o celular dela e de outro homem

Goleiro da Chapecoense é acusado de agressão e roubo
van, goleiro da Chapecoense, faz aquecimento antes da partida contra o Figueirense, válida pela oitava rodada da primeira fase do Campeonato Catarinense 2019 / Foto: Matheus Sebenello / MyPhoto Press / Gazeta Esportiva

O goleiro da Chapecoense, Gilsivan Soares da Silva, de 34 anos, conhecido como Ivan Soares, é procurado por ferir a ex-namorada e roubar o celular dela e de outro homem na tarde desta quarta-feira, 13. O crime foi registrado na cidade de Espinosa (MG). O motivo teria sido por ciúme e o jogador fugiu e ainda não foi localizado.

A polícia foi acionada por um jovem de 21 anos, o primeiro a ser vítima do atleta, no bairro São Cristóvão. Acreditando que o rapaz estaria saindo com sua ex-companheira, Ivan o abordou e, simulando estar armado, exigiu que ele entregasse o celular. Em seguida, o acusado foi até um salão de beleza onde se encontrava Laise Fernandes, 30, com quem se relacionou. Munido com uma faca, ele também a obrigou a entregar o telefone.

O objetivo seria conferir se os dois estariam trocando mensagens, mas como o celular da ex tinha senha, ele retornou de novo ao salão e exigiu que ela desbloqueasse o aparelho. A mulher negou e houve briga, ocasião em que ela cedeu, após ter a faca encostada em seu pescoço.

Durante a confusão, móveis e outros objetos do estabelecimento foram danificados. A mulher feriu-se após faca cair de ponta sobre seu pé esquerdo, ocasionando uma fratura. Ela foi levada ao hospital. A proprietária do salão confirmou esta versão e contou que o atleta se mostrava muito alterado.

Futuro

Ivan chegou a Chapecoense no início de 2018. Ele teve seu contrato renovado até o fim deste ano. No último sábado, 9, o jogador pediu licença do clube para tratar de assuntos pessoais no Norte de Minas Gerais, onde possui familiares, mas não se apresentou na última terça-feira, 12, como previsto. A ocorrência envolvendo o atleta pegou de surpresa os diretores do time de Santa Catarina.

O clube informou que, por enquanto, não se manifestará a respeito. Já Ivan, que estaria negando as acusações, é esperado para uma reunião com a diretoria.