Venda de estoques e ofertas de subvenção garantiram renda ao produtor em 2016
/ Foto: Canal Rural

Com o objetivo de equilibrar a oferta e demanda de grãos e café no mercado interno, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) realizou, ao longo de 2016, diversas operações de venda de estoques públicos e oferta de subvenção, por meio de leilões públicos eletrônicos.

Para conter a alta do preço do milho em grãos e seu impacto nos preços das carnes de frango e de suínos, foram ofertadas 653,8 mil toneladas de milho e adquiridas, pelo mercado, 610,5 mil toneladas.

O produto negociado é originário dos estoques formados por Aquisição do Governo federal (AGF), Contrato de Opção e da agricultura familiar (15,4 t).

A Conab também realizou leilões de venda de café arábica, oriundo tanto de AGF quanto de Contratos de Opção.

Ao todo, foram ofertadas 55,9 mil t e negociadas 53,7 mil t do produto. As vendas ocorreram nos seguintes estados: produto oriundo de AGF, no Espírito Santo (78,8 t) e em São Paulo (38,8 t); café oriundo de Contrato de Opção, na Bahia (635,2 t), em Goiás (96,3 t), Minas Gerais (43 mil t), Paraná (1,7 mil t) e São Paulo (8,1 mil t). As ofertas regulares de café arábica serviram para regular o mercado interno e devem continuar em 2017.

Foram comercializadas ainda 73,2 mil toneladas de arroz dos estoques públicos, de um total de 80,4 mil t ofertadas.

A quase totalidade foi negociada no Rio Grande do Sul (72,9 mil t). Tocantins arrematou 120 toneladas e Goiás, 95,7 toneladas.

Essas operações ocorreram no âmbito da Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM), por meio da qual a Conab compra o produto quando o seu valor está abaixo do mínimo e o devolve ao mercado quando está acima do preço de liberação dos estoques públicos.

Em dezembro, a Conab realizou operações de apoio à comercialização do trigo em grãos da Região Sul, por meio de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro) e de Prêmio para Escoamento de Produto (PEP).

A subvenção foi oferecida para o trigo procedente do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, em atendimento a demanda do setor para equalização do preço do produto, negociado nesses mercados abaixo do preço mínimo fixado pelo governo federal, de R$ 0,6442/kg (trigo pão/melhorador).

Em três leilões de PEP e três de PEPRO, foram comercializados PEP para a remoção de 47,7 mil t de trigo e PEPRO para a remoção de 397 mil t do produto. Novas ofertas estão previstas para o começo de janeiro.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter